Destinos Grécia Pessoas & Cultura Vida a bordo

Canal de Corinto e Atenas Entre Amigos

Escrito por Renato Matiolli

Depois de Zakinthos conseguimos dar uma velejada dentro do Golfo de Patras, passamos por debaixo da linda ponte suspensa Rion, e seguimos velejando por todo o Golfo de Corinto em direção ao Canal de Corinto.

P1160085_Fotor  P1160087_Fotor

Bom, na verdade não conseguimos ir velejando o caminho todo, havia dias que víamos que a previsão do tempo era perfeita, levantávamos as velas por uma ou duas horas, e ai o vento morria por completo, e tinhamos que seguir a motor por quatro ou cinco horas. Uma porcaria… mas enfim…

Para compensar o fato de que não estávamos conseguindo velejar assim tanto, fizemos um ótimo trabalho em encontrar umas baías calmas e lindas para ancorar nosso Ipanema.

IMG_0036_Fotor  DSC00856_Fotor

P1160116_Fotor

Aparentemente há vários golfinhos nessa região e tivemos uma mega sorte em encontrar com vários deles, eles apareceram perto do barco umas quatro vezes enquanto cruzamos o Golfo. Incrível! É demais, eles conseguem saltar quase que o dobro da altura deles no ar, mas infelizmente, como não temos o talento daqueles fotógrafos da National Geographic, não conseguimos tirar nenhuma foto descente que mostrasse o quão lindo foi nosso encontro com eles. Oh well…. pelo menos lá ao vivo a gente curtiu muito!

A travessia do canal em si é uma experiencia maravilhosa. A água é cristalina e tem uma correnteza forte, o canal é bem estreito com um paredão de rochedo de cada lado e algumas pontes lá no alto que atravessam de um lado ao outro, deixando o cenário ainda mais espetacular.

Tinham mais uns 6 veleiros cruzando o canal na nossa vez, e as autoridades iam dando ordens pelo rádio para irmos todos mais rápido, e já estávamos indo a 8 nós! Que para nós, já foi um record. Eu ia pilotando e a Sarah tirando fotos freneticamente de todos os ângulos.

DSC00887_Fotor_Fotor  DSC00906_Fotor

DSC00904_Fotor  DSC00917_Fotor

Depois de cruzarmos o canal, ancoramos numa pequena baía para darmos uma olhada no nosso motor de estibordo, pois ele andava diminuindo os RPMs de vez em quando. Eu troquei alguns filtros para ver se melhorava… mas… claro… acabei cagando ainda mais. Agora nem ligar ele ligava. Ai, acabamos ficando nessa baía nas ilhas Salamis esperando a Segunda-Feira chegar para conseguir um mecânico em Atenas para dar uma olhada. Acabamos indo a motor (só um dessa vez) até a marina de Alimos em Atenas, onde o Eugene, uma camarada meu, acabou nos salvando e dando uma mega ajuda. O mecânico dele resolveu o problema que eu criei, mas o problema anterior persistia e ainda não sabemos o que é.

A melhor coisa de Atenas foi poder encontrar com alguns amigos. Primeiro P1180077_Fotoro Eugene, um Grego que eu conheci ha uns meses atrás quando estava tentando comprar um barco por ali. Um verdadeiro empreendedor, ele tem sua própria frota de barcos para charter e gerencia alguns outros, ele conhece o mercado náutico grego como ninguém, e eu realmente confio nesse cara. Muito gente fina, mesmo no meio da doideira da temporada alta, e com seu primeiro filho recém nascido em casa, ele conseguiu arrumar um tempão para nos ajudar.
Naquele mesmo dia, nossa vizinha de porta do Rio chegou para passar uns dias com a gente. A Alê entrou nas nossas vidas quando ela viu a gente chegando no nosso antigo prédio do Leblon carregando um filhotinho de Bull Terrier nos braços, foi no mesmo dia em que compramos ele, o pestinha tinha apenas 2 meses e na mesma hora ela se apaixonou por ele e nós por ela. Conversa vai, conversa vem na portaria do prédio, percebemos que éramos vizinhos de porta, e a partir desse dia nos tornamos grandes amigos, praticamente família, convivendo diariamente entre jantares, papos, e planejamentos da nossa grande aventura, que a Alê acompanhou diariamente durante meses. A Alê além de linda e carismática, é daquele tipo de pessoa que vive intensamente, ela consegue rir das coisas boas e ruins da vida e adora contar histórias cômicas das roubas que ela se mete. Não precisamos nem dizer que ter ela a bordo foi um prazer, né?

IMG_3892  IMG_3894

IMG_3898 IMG_3899

IMG_3869

Depois encontramos com a Laura e o Diego, um casal de amigos de Alphaville, onde eu cresci em São Paulo, que hoje moram em Atenas. Na verdade éramos apenas conhecidos mas com vários amigos em comum. De cara já ficamos super amigos, convidamos eles para um jantar a bordo que foi até altas horas com um ótimo papo e muitas risadas, parecia que éramos melhores amigos de uma vida inteira, eles são super alto astral e foram incríveis durante a nossa estadia em Atenas. Esperamos que eles voltem em breve para velejar com a gente.

Agora estamos ancorados em Sounion Bay, bem em frente ao templo de Poseidon (Deus do Mar), na ponta mais ao sul da região de Atenas, nos preparando para cruzar até as ilhas Cícaldes. Lugarzinho nada mal para esperarmos as condições ideias para a travessia.

P1180104_Fotor  P1180116_Fotor

DSC00982_Fotor

IMG_0038_FotorE o nosso pilantrinha Feijão continua ótimo e parece estar amando a sua nova vida a bordo. Sua nova mania é pular para dentro do dinghy que fica pendurado na popa do barco cada vez que ele faz alguma besteira e damos uma bronca nele. Ele até chegou a pegar no sono lá dentro no outro dia. Ele está se achando o capitão do dinghy… bom, acho que está virando do jeito que as coisas vão…

Sobre o autor

Renato Matiolli

Deixe um comentário