Dog lovers Ilhas Marquesas Pessoas & Cultura

Nuku Hiva: Hora de se tatuar!

Nuku Hiva peaks
Escrito por Renato Matiolli
Depois de Hiva Oa velejamos até Nuku Hiva. A baía principal aqui é Taiohae, provavelmente a ancoragem mais popular das Marquesas, aqui você encontrar dezenas de veleiros. Nuku Hiva também conta com outras ancoragens lindas e protegidas com bem menos barcos. A ilha tem uma vegetação densa, muitas árvores frutíferas e cachoeiras. Mas mesmo com toda essa beleza natural, meu primo e a Sarah só conseguiam pensar numa coisa, fazer uma tatuagem tradicional.

Peaks and bay

A baía de Taiohae tem todas as facilidades básicas que os velejadores procuram e é bem protegida de quase todas condições climáticas. Mas não foi nosso lugar preferido já que é funda e a água turva.

Taiohae Bay

Taiohae Bay drone

Aqui tem também um Tiki gigante chamado Tuhiva. Reza a lenda que todos os velejadores que passam por aqui devem colocar uma cartinha dentro do umbigo da estátua. E claro que não ficamos fora dessa. Escrevemos um bilhetinho agradecendo nossa travessia segura do Pacífico e pedimos proteção aqui nas águas da Polinésia.

Giant Tiki 2 Giant Tiki 1

Já que Taiohae é uma baía enorme e segura, quando os navios de cruzeiros passam pela ilha é aqui que ancoram. O legal é que quando eles chegam, cheios de turistas, as crianças locais fazem uma cerimonia tradicional chamada Haka para dar as boas vindas. Os meninos parecem mini guerreiros e as meninas lindas princesas. É lindo de se ver.

Haka 2

Haka 1 Haka 3

Em Nuku Hiva dizemos adeus aos últimos membros da nossa tripulação da Travessia do Pacífico. Mas não sem antes conseguirmos uns souvenirs. Meu primo andava pesquisando bastante e achou o tatuador mais tradicional da região, o Teike Huukena. Ele tem o studio de tatuagem Patiki junto com o primo dele, o Ludo. Esse ai é um doido que vive como os antigos Marqueseanos, caça os próprios javalis e usa os dentes deles num colar, e é todo tatuado como os guerreiros ancestrais, incluindo a cara. Não preciso nem dizer que a Sarah pirou com a ideia né? Então ela e o Henrique fizeram uma tatuagem enorme tradicional cada. Acho que eles não vão esquecer de Nuku Hiva tão cedo.

Tattoo Sarah

Tattoo primo Tatuador Sarah

Patutiki

Depois de uns dias que a galera foi embora, chegou nossa amiga Bia. Alugamos um carro e fizemos um tour pela ilha toda junto com ela.

Bia jumps  Bia e Sarah

Tem algumas cachoeiras em volta de Nuku Hiva, mas ninguém estava com ânimo para caminhar. Ficamos só na caça às frutas. Tem árvores frutíferas pela ilha toda, muitas na beira da estrada. Dirigimos pela ilha inteira. A topografia e a vegetação valem a pena!

Massive tree at marae

Sarah starfruit  Sarah and horses

Turn ahead Peaks and big bay

Peaceful view

Só que a estrada não chega na baía mais bonita. Para visitarmos Anaho Bay fomos como o Ipanema. Esse sim é nosso tipo de lugar. Bem menos barcos em volta, água mais rasa, transparente e praia com areia branca… Tem até uma trilha com um propósito! Ela leva até uma outra praia linda do outro lado da baía.

Anaho from above

Hiking view

The beach after the hike

So long Anaho Bay

Nosso corajoso Feijão fez toda a trilha conosco. Ele inclusive fez alguns amigos no caminho. Mas o mais importante é que no final ele achou uma prainha para refrescar as partes baixas. Isso sim é a dele… relaxar… vida boa. Feijulino não é muito de caminhada e para falar a verdade nem a gente.

Feijão and the horse Three little pigs

Cooling the balls down

Infelizmente durante nossos últimos dias em Nuku Hiva um monte de coisas começaram a quebrar pelo barco. Primeiro foi nosso compressor de mergulho, depois o motor do bote, em seguida o gerador. Os dois motores do barco também andavam meio capengas. E a gota d’água foi o guincho da nossa âncora que simplesmente parou de funcionar. Então em vez de seguirmos os planos e passar a temporada pelas ilhas das Tuamotus, decidimos seguir direto para o Tahiti. Sendo a capital lá é um pouco mais fácil de conseguir concertar as coisas.

SUP Nuku Hiva

É hora de dizer adeus a Nuku Hiva. Mas sem problemas, acho que voltaremos para cá em algum momento.

Sarah's goodbye

Sobre o autor

Renato Matiolli

Deixe um comentário